Métodos do Ballet Clássico

Para quem não sabe o ballet clássico possui várias metodologias, a base do clássico é a mesma o que muda são alguns nomes e a forma como alguns movimentos são executados. Além disso, cada método tem suas características. Para facilitar vou resumir as características de cada um. Caso você tenha curiosidade de se aprofundar mais no tema você pode encontrar bastante material bacana na internet mesmo.

Método Italiano: O italiano Enrico Cecchetti é um dos grandes influenciadores deste método. A repetição dos exercícios a cada dia da semana é fundamental no crescimento técnico do bailarino, mas ele não deixa de levar em conta a importância de o professor acrescentar sequencias novas para os alunos aprenderem a assimilar cada vez mais rápido novas sequências. Ao contrário do que estamos acostumados a trabalhar nas aulas, este método trabalha em cada semana um lado, ou seja, uma semana um lado da perna e na semana seguinte o outro lado. Para enfatizar o conceito de corpo e movimento os alunos aprendem que o movimento é um conjunto e não apenas a ação separada de uma parte do corpo. Apesar se não ser muito comum no Brasil, é um método que tem como primor a qualidade técnica de seus bailarinos em vivacidade e força. Método Vaganova (Russo): Um dos mais conhecidos e utilizados no Brasil, este método desenvolvido pela bailarina Agrippina Vaganova, reúne a técnica francesa com a técnica inglesa. Sua característica é o trabalho intenso realizado nas sequencias de barra em suas repetições, o desenvolvimento técnico é trabalhado detalhadamente sendo gradual da barra para o centro, onde são realizadas sequências semelhantes. Método Francês: Esse é o método trabalhado nas aulas de Ballet na Pariz Arte em Dança Influenciado pelo maitrê Pierre Beauchamp é um dos métodos mais antigos. Não é coincidência que a grande maioria dos passos utilizados no ballet são nominados em francês, este método é responsável pela criação de muitos movimentos conhecidos até hoje. Pierre reafirma em seu livro lançado em 1725 “O Maestro da Dança” a importância dos pés en dehors e a cinco posições da dança clássica. O preparo físico dos bailarinos são intensos, a técnica não é considerada como um fim,mas como um pré-requisito e um meio necessário para seus bailarinos. É um dos métodos mais rígidos que existe e procura seguir a risca suas origens.

Método Royal (inglês):Também muito conhecido no Brasil, o método Royal foi desenvolvido em Londres e tem uma característica bem organizada na forma de ensinar o bailarino conforme sua idade, trabalhando muito as linhas de postura e equilíbrio. O método RAD (Royal Academy of Dance) Reuniu representantes do ballet russo e italiano com o inglês simbolizando a união do ballet internacional consolidando em um método de ensino. Método Cuballet (Cubano): É um método recente e inovador, desenvolvido com grande influência dos russos. Os bailarinos Cubanos possuem características de força e agilidade evidentes, trabalham muito batteries, allegros e giros. Os métodos possuem nomenclaturas que se diferenciam entre si, tanto para as posições de braços como para as direções de corpo. Por exemplo no método RAD a quinta posição de braços corresponde a terceira posição de braços no método Vaganova.

#balletclassico #método #bailarinos #dancers #royal #vaganova #cechetti #cubano


Leave a Reply

Your email address will not be published.